Apelo à preservação do espaço público

Manter o Parque das Nações dotado das condições imprescindíveis para o seu reconhecimento como uma das zonas com melhor qualidade de vida do País no que respeita à qualidade urbana, ao conforto e ao ambiente, é um imperativo de todos. Num território onde a automatização da recolha e transporte dos resíduos para locais centralizados se Ler mais sobreApelo à preservação do espaço público[…]

José Sarmento de Matos (1946 – 2018)

Faleceu esta manhã, aos 72 anos de idade, José Sarmento de Matos. Formado em História da Arte e especialista na arquitetura civil de Lisboa identificava-se, sempre, como olisipógrafo. Foi o responsável pela conceção da toponímia característica do Parque das Nações e a ele se deve a escolha dos nomes das ruas, fortemente ligados aos Oceanos Ler mais sobreJosé Sarmento de Matos (1946 – 2018)[…]

Árvores mortas em Lisboa no “Portugal em Direto” (RTP)

A RTP transmitiu no programa “Portugal em Direto”, uma reportagem sobre a morte de árvores na cidade de Lisboa, com ênfase no estado do arvoredo da Alameda dos Oceanos e restantes espaços da freguesia do Parque das Nações. A reportagem contou com os depoimentos de Emanuel Sousa, conhecido defensor do património arbóreo da capital, Cristina Castel-Branco, Ler mais sobreÁrvores mortas em Lisboa no “Portugal em Direto” (RTP)[…]

A “lisbonização” da higiene urbana no Parque das Nações

O problema da higiene urbana é uma grande preocupação que afeta toda a cidade de Lisboa e, infelizmente, o Parque das Nações já não é uma exceção. Este território, que até 2013 era um exemplo e uma referência em termos de limpeza e organização do espaço público, tem assistido, nos últimos anos, a uma degradação Ler mais sobreA “lisbonização” da higiene urbana no Parque das Nações[…]

As árvores morrem de pé

Um dos fatores mais importantes para a estratégia de recuperação ambiental da Zona de Intervenção da Expo’98 foi a elaboração do Plano de Arborização que se traduziu na plantação de mais de 10.000 árvores em toda a área. Um dos seus maiores méritos foi ter permitido salvar cerca de 500 árvores adultas que pela sua Ler mais sobreAs árvores morrem de pé[…]

Regresso ao Oceano

“O Pavilhão dos Oceanos, futuro Oceanário de Lisboa, é uma celebração do oceano, uma celebração da vida. É um convite permanente dirigido a pessoas de todo o mundo para visitarem lugares remotos, encontrarem animais diferentes e, num contexto de lazer e entretenimento, pensarem em desempenhar um papel no programa da Humanidade para o próximo século: Ler mais sobreRegresso ao Oceano[…]

Grandes eventos e o espaço público

Num curto espaço de 3 meses, o Parque das Nações já recebeu 3 eventos de grande dimensão: o Festival da Eurovisão, as comemorações do Jubileu de Diamante do Príncipe Aga Khan e o Festival Super Bock Super Rock. Independentemente da visibilidade e das contrapartidas financeiras diretas e indiretas que eventos deste tipo possam trazer para Ler mais sobreGrandes eventos e o espaço público[…]

Luís Vassalo Rosa (1935 – 2018)

Tomámos conhecimento esta tarde do falecimento do Arq.º Luís Vassalo Rosa, antigo Diretor dos Serviços de Planeamento e Gestão Urbanística da Parque EXPO S.A. e responsável pelo Plano de Urbanização, coordenação e gestão urbanística da Zona de Intervenção da EXPO’98. Vassalo Rosa foi o “pai” daquilo a que hoje chamamos Parque das Nações, uma designação Ler mais sobreLuís Vassalo Rosa (1935 – 2018)[…]

Degradação dos espaços verdes no Parque Tejo

O estado de degradação do Parque Tejo tem vindo a agravar-se, ano após ano, à custa de uma manutenção insuficiente, pouco rigorosa e de um desinvestimento numa das zonas verdes de referência da cidade de Lisboa. Os outrora relvados verdejantes, não passam hoje de campos cheios de ervas daninhas e espécies invasoras. E se durante Ler mais sobreDegradação dos espaços verdes no Parque Tejo[…]

Facebook