Encerramento do Centro Interpretativo do Parque das Nações

No dia 28 de maio de 2015, o Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia inaugurou o Centro Interpretativo do Parque das Nações no Torreão Norte do Pavilhão de Portugal. A exposição inaugural, concebida pela Parque EXPO e denominada “A Cidade Imaginada” era, assim, a primeira fase do Centro Interpretativo e apresentava uma retrospetiva da intervenção arquitetónica, urbanística e ambiental no território que é hoje o Parque das Nações. Esta exposição recebeu mais de 25.000 visitantes ao longo dos 7 meses em que esteve aberta ao público.

O Centro Interpretativo haveria de reabrir em 2016 mas com um horário mais limitado em virtude do processo de liquidação da Parque EXPO. Por esse motivo, e para garantir a sua permanência de portas abertas, a Junta de Freguesia do Parque das Nações (JFPN) e a Comissão Liquidatária da Parque EXPO firmaram, em outubro de 2016, um protocolo que estabelecia os termos da transmissão para a freguesia do conjunto de bens, equipamentos e demais conteúdos do Centro Interpretativo. Desde então, todo o acervo do Centro Interpretativo bem como a gestão, exploração e manutenção desse núcleo museológico passou a estar a cargo da JFPN.

Não obstante a autarquia ter então manifestado interesse e disponibilidade em manter e assegurar o funcionamento do Centro Interpretativo, nunca vimos por parte da JFPN qualquer iniciativa visando a sua divulgação e dinamização. Nem uma única referência nas dezenas de newsletters que tem ao seu dispor.

Não surpreende, portanto, que o Centro Interpretativo tenha sido encerrado em janeiro sem qualquer aviso prévio ou justificação aos fregueses. A ACIPN questionou o Presidente da JFPN relativamente aos motivos do encerramento bem como aos planos da JFPN para o Centro Interpretativo e todo o seu espólio. Provando que os Executivos podem mudar mas as más práticas não, ainda não obtivemos qualquer resposta.

 

[UPDATE 27-02-2018]

Na sequência de uma proposta apresentada pelo Grupo Municipal do CDS-PP, a Assembleia Municipal de Lisboa deliberou na sua Sessão Ordinária de 27 de fevereiro recomendar à Câmara Municipal de Lisboa que:

1. Inicie, de imediato, contactos com a Universidade de Lisboa para assegurar a abertura de um espaço semelhante ao que existia, envolvendo a Junta de Freguesia do Parque das Nações;

2. Assegure a preservação do espólio do Centro Interpretativo, de forma a que seja reposto no local, assim que possível;

3. Aproveite para enriquecer o espólio da Exposição com diversos materiais que foram entregues pela Parque Expo ao Museu da Cidade;

4. Seja equacionada a abertura de uma segunda sala, existente por cima da actual e que se encontra em estado bruto, de forma a criar mais espaço para Exposições e que permita a existência de uma sala capaz de acolher alguns pequenos eventos relacionados com a temática daquele espaço.

 

Facebook