Os novos carvalhos da Alameda dos Oceanos

No início da primavera, cerca de 200 azinheiras (Quercus ilex) que se perfilavam mortas ao longo dos passeios laterias da Alameda dos Oceanos foram substituídas por carvalhos-roble (Quercus robur ‘Fastigiata’), alegadamente uma espécie adequada ao local e que permitiria pôr termo ao problema fitossanitário das azinheiras.

Poucos meses volvidos, constatamos que 87 destes novos exemplares estão completamente secos, desprovidos de qualquer folha. Outras tantas dezenas apresentam folhagem ténue e em muitos casos amarelecida, com aspeto pouco saudável do ponto de vista fitossanitário. Mais estranho ainda é constatar que algumas destas árvores já foram plantadas neste estado no âmbito de um contrato adjudicado pela CML no valor de 74 mil euros.

 

Facebook