Parque das Nações vai manter padrão de qualidade

Notícia Diário de Notícias de 1 de Dezembro de 2012:

“O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, assumiu hoje simbolicamente a gestão urbana do Parque das Nações, numa pequena cerimónia onde assegurou que vai manter o mesmo “padrão de qualidade elevado” característico daquela zona.

“Para que tudo decorresse de uma forma tranquila e normal, a Parque Expo manteve os contratos de prestação de serviços, esses contratos foram transferidos para a câmara de Lisboa e tudo continuará a decorrer como até aqui”, disse o autarca à Agência Lusa.

António Costa falava à margem da visita que fez hoje ao final da manhã às instalações da câmara de Lisboa no Parque das Nações.

A continuidade dos parâmetros de qualidade da manutenção urbana do Parque das Nações é uma das principais preocupações dos moradores com a transferência da gestão urbana para a autarquia lisboeta.

Para António Costa, “quem mora, trabalha e investiu no Parque das Nações tem obviamente direito de exigir o mesmo padrão de qualidade elevado que teve até aqui e que se vai manter porque o prestador de serviços é o mesmo e não há nenhuma razão para que seja agora pior do que era anteriormente”.

O autarca admitiu que hoje é “um dia muito importante” porque se está a dar “mais um passo para a instalação da nova freguesia do Parque das Nações”.

Agora, a urgência é a criação de uma comissão instaladora, que o presidente da câmara quer iniciar já em janeiro, para que a nova Junta de Freguesia possa funcionar em pleno no início de 2014.

A comissão instaladora do Parque das Nações vai ser composta por um representante de cada uma das câmaras e assembleias municipais de Lisboa e Loures, um representante das juntas e das assembleias de freguesia de origem e “por cidadãos eleitores da área da nova freguesia em número superior aos restantes elementos”.

António Costa disse ainda que só agora assumiu a gestão urbana do Parque das Nações porque teve de assegurar o encargo acrescido na ordem dos 7,5 milhões de euros por ano que custa à câmara de Lisboa.

“Tínhamos de ter as condições financeiras necessárias para assumir este encargo com responsabilidade. Foi por isso que só o pudemos fazer quando ficaram concluídas outras negociações com o Estado que nos libertaram de encargos que nos permitem agora assumir este novo encargo”, afirmou.

O autarca referia-se à venda dos terrenos do aeroporto, que acabou com alguns diferendos entre a câmara e o Governo, entre os quais a transferência da gestão urbana do Parque das Nações para o município de Lisboa.

A câmara comprometeu-se a reafetar prioritariamente a capacidade financeira que liberta através da amortização antecipada da dívida ao processo de liquidação da Parque Expo, assumindo os encargos inerentes.

Presente na cerimónia, o presidente da Associação de Moradores e de Comerciantes do Parque das Nações, José Moreno, disse que hoje é “um dia grande” para aquela zona, que deixa de se debater com as questões territoriais inerentes de quem pertence a dois concelhos e a três freguesias.

Afirmando que esta era “uma aspiração velha” dos moradores, José Moreno disse esperar que se mantenha o padrão de qualidade a que estão habituados e pediu a António Costa um “diálogo estreito de comunicação”.

A passagem das competências para a Câmara de Lisboa surge da decisão do Governo de proceder à extinção da Parque Expo, anunciada no verão do ano passado.

A autarquia assume, além dos contratos de gestão urbana, os “contratos de empreitada de obras públicas, locação e aquisição de bens móveis e serviços” celebrados no âmbito da Expo’98.

Estes contratos englobam a manutenção e limpeza do espaço público, dos espaços verdes e dos parques infantis, a recolha de resíduos sólidos urbanos, a iluminação pública e a monitorização ambiental, entre outros, e custavam à Parque Expo cerca de seis milhões de euros anualmente.

Entretanto, este mês foi publicada em Diário da República a reforma administrativa de Lisboa, que cria na cidade a freguesia do Parque das Nações com a área também pertencente ao vizinho município de Loures.”

Fonte DN em 1.12.2012

http://www.dn.pt/portugal/sul/interior/parque-das-nacoes-vai-manter-padrao-de-qualidadade-2921478.html

Facebook